Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

VILLA 31: DE FAVELA A NOVO BAIRRO DE BUENOS AIRES

por Mäyjo, em 12.07.17

Villa 31

A Villa 31 é a favela mais antiga e famosa de Buenos Aires, que não só não desaparece como também continua a crescer em pleno coração da capital argentina. Vivem aqui mais de 40.000 pessoas, o dobro do que há 15 anos.

 

Este bairro da lata, que deve as suas origens à crise de 1930, está separado pelas linhas de comboio do bairro mais caro de Buenos Aires – a Recoleta. O contraste é brutal. De um lado, ruas de terra batida, um emaranhado de fios eléctricos, e labirinto de construções amontoadas em construções de tijolos que chegam aos quatro, cinco andares, casas ilegais, sem alvará, nas quais ninguém paga pela luz nem pela água. Do outro, lojas de design, cafés e prédios luxuosos estilo parisiense.

Ignorada pelas autoridades durante décadas, a Villa 31 está prestes a ser sujeita a um plano de urbanização no valor de 400 milhões de dólares, que deverá ser concluído em 2019. O objectivo é desenvolver habitação, sistema eléctrico e sistema de esgotos, pavimentação das vias, sistema de recolha de lixo e construção de áreas de lazer (entre elas a reconversão da via rápida que atravessa o bairro num grande espaço verde inspirado no projecto da High Line em Nova Iorque).

Na Villa 31, onde quase metade da população são imigrantes de Peru, Paraguai e Bolívia, apenas 27% dos jovens tem ensino médio completo, bem abaixo dos 80% para todas as Buenos Aires, pelo que uma das prioridades das autoridades locais também é reduzir a taxa de desemprego de quase 50% e quase inexistência de serviços públicos, como escolas.

O governo da cidade já anunciou, aliás, que vai levar para a Villa 31 todos os seus serviços educativos, assim como 1.500 funcionários públicos, uma forma de integrar a cidade e a favela, que passará a chamar-se Barrio 31. 

Numa cidade onde 8% da população vive em guetos como este, o município pretende “regularizar o que era informal”, disse à agência France Presse Diego Fernandez, responsável pela Integração Social e Desenvolvimento Urbano de Buenos Aires. “Vamos tentar transformar este bairro quase numa cidade europeia, com casas baixas e ruas estreitas. Queremos fazer com que as pessoas da cidade venham para cá. O bairro tem muito valor, existem legumes aqui que não se encontram em qualquer outro lugar da cidade, aqui vende-se de tudo”.

Comprovando a transformação em curso, o BID-Banco Interamericano de Desenvolvimento (um dos financiadores do projecto) vai abrir aqui o seu escritório argentino num prédio construído por trabalhadores locais e a McDonald’s também já confirmou que planeia abrir um restaurante no bairro 31.

Foto: Creative Commons

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 06:19

PRAIAS FLUVIAIS DE PARIS FECHADAS UMA SEMANA DEPOIS DE ABRIREM

por Mäyjo, em 05.07.17

canal de l'Ourcq Paris

Foi uma das grandes inaugurações de Paris este Verão, e a presidente do Município, Anne Hidalgo, declarou-as “um sonho tornado realidade” durante a inauguração. E população aderiu em massa, formando-se longas filas à espera para tomar um banho no Sena. As novas praias fluviais recebiam cerca de 300 banhistas de cada vez.

 

Mas esta semana as autoridades fecharam as praias até nova ordem, devido à qualidade da água ter sido declarada insatisfatória. Não foram avançadas mais explicações mas, segundo o jornal The Guardian, uma rádio local apontava culpas às chuvas que caíram no fim de semana e que causaram valores acima do permitido de ‘enterococcus’, bactérias de origem fecal e urinaria. Como não sabemos.

Foi sem dúvida um rude golpe para a cidade, depois de 10 anos de esforços, para limpar as águas do canal. Sobretudo quando a presidente já declarou que quer ter as águas do Sena completamente limpas em 2024, ano a que a cidade se candidatou a receber os Jogos Olímpicos. Para que todos possam tomar banho a ver a Torre Eiffel. Ou não…

Foto Wiki Commons

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 06:10

SECA OBRIGA ROMA A FECHAR AS TORNEIRAS 8 HORAS POR DIA

por Mäyjo, em 04.07.17

Fontana di Trevi Roma_

Os efeitos da seca que se faz sentir nalguns países europeus, Portugal incluído, teve, para já, uma consequência extrema: as autoridades da região da Lázio decidiram que não se irá continuar a explorar as águas do lago Bracciano, um dos que abastece Roma, privando assim a capital do país de água durante oito horas, um terço do dia. A Acea, empresa que gere o abastecimento, avisou por seu turno que o racionamento terá de acontecer em turnos alternados, que tanto podem acontecer de noite como de dia.

 

“Assistimos a uma tragédia” referiu o presidente da Lázio, Nicola Zingaretti, quando decidiu interromper a utilização do lago, a cerca de quarenta quilómetros da capital, e cujo nível de água desceu já 1,5 metros, colocando em perigo o equilíbrio ecológico na zona.

Segundo o La Repubblica, a Itália está sob a maior seca dos últimos 200 anos.  E desde o tempo dos imperadores romanos, e dos grandes aquedutos, que a cidade eterna nunca tinha sentido tão gravemente os efeitos de uma seca. 

Foto Creative Commons

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 06:09

Artistas urbanos pintaram a fachada de 209 habitações

por Mäyjo, em 22.06.17

foto_1A ARTE URBANA QUE UNIU UMA COMUNIDADE

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:01

NOVA IORQUE: CAIXOTES DO LIXO PODEM FUNCIONAR COMO HOTSPOTS DE WI-FI

por Mäyjo, em 20.06.17

lixo_SAPO

A empresa norte-americana Bigbelly quer transformar os caixotes do lixo de Nova Iorque em hotspots de wi-fi, de acordo com o Mother Nature News. Segundo o site, a empresa de Massachusetts já instalou equipamento de wi-fi em vários em vários dos ecopontos e compactadores de lixo da Grande Maçã, numa primeira fase de testes.

 

O equipamento é alimentado por energia solar e poderá ser uma realidade assim que alguns problemas logísticos forem resolvidos. Um deles é o facto de os vários edifícios e torres de escritórios poderem facilmente bloquear o sinal. Talvez por isso, Times Square é uma das zonas onde decorre a fase de testes.

Ainda assim, nada que preocupe a Bigbelly. A empresa já comercializa soluções de armazenamento de resíduos de grande capacidade, cujos sensores avisam os departamentos e saneamento da altura certa para que estas estações sejam esvaziadas. Assim, o processo de acrescentar painéis solares e wi-fi não foi demasiado complexo.

Segundo a Bigbelly, dois dos caixotes do lixo com wi-fi instalados em Wall Street tiveram níveis de produtividade – no que toca a sinal wi-fi – bastante interessantes, o que prova que o programa tem tudo para ser um sucesso.

O Mother Nature News revela que, nos próximos meses, novos caixotes e ecopontos receberão o equipamento wi-fi. Uma pequena vitória para a empresa de Massachusetts.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:55

VIVER EM ZONAS RUIDOSAS PODE AUMENTAR RISCO DE MORTE, DIZ ESTUDO

por Mäyjo, em 10.06.17

cidade_SAPO

A exposição ao ruído do tráfego automóvel aumenta o risco de morrer por doença cardiovascular, assim como o risco de ser hospitalizado por um acidente vascular cerebral (AVC), de acordo com um estudo publicado na revista European Heart Journal e citado pela  Veja e pelo agregador O Meu Bem Estar.

 

O estudo, que analisou cerca de 8 milhões de pessoas que viviam em Londres entre 2003 e 2010, procurou estabelecer uma relação entre um trânsito muito barulhento e uma taxa elevada de AVC.

Segundo os investigadores britânicos, as pessoas que vivem numa zona onde o ruído gerado pelo tráfego automóvel ultrapassa os 60 decibéis durante o dia apresentam um risco 4% maior de morte em comparação com aquelas que vivem em áreas mais calmas. O ruído agrava a hipertensão, os problemas do sono e o stress, que são factores de risco conhecidos doenças cardiovasculares, acrescenta o estudo.

Os adultos que moram perto de zonas particularmente barulhentas durante o dia também tiveram um risco 5% maior de serem hospitalizadas devido a um AVC, percentagem que chega aos 9% no caso dos idosos. Nas áreas barulhentas durante a madrugada, contudo, apenas as pessoas mais velhas apresentaram um risco maior – 5% – de sofrer um AVC.

Segundo Jaan Halonen, da London School of Hygiene & Tropical Medicine, que coordenou o estudo, esta é a primeira investigação a estabelecer uma relação entre o ruído e os acidentes vasculares cerebrais no Reino Unido. Em Londres, mais de 1,6 milhões de pessoas vivem nas áreas onde o ruído ultrapassa os 55 decibéis durante o dia.

“Este estudo não prova que o ruído está na origem das doenças cardiovasculares, mas é coerente com outras pesquisas que mostram o seu impacto no aumento da hipertensão e pode, assim, contribuir para seu desenvolvimento”, explicou Tim Chico, professor de cardiologia da universidade de Sheffield. Chico ressalta que o risco associado ao ruído é “bem menor” do que o relacionado com o tabagismo, a obesidade ou o sedentarismo.

Foto: Navaneeth KN / Creative Commons

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:04

AS CURIOSIDADES DO CICLO URBANO DA ÁGUA

por Mäyjo, em 09.06.17

ETAR guia

O ciclo urbano da água – por outras palavras, como é que a água chega até às nossas casas e o que lhe acontece quando delas sai – pelo cano abaixo, entenda-se, é um processo complexo.

Ainda assim, tem algumas curiosidades que a Águas de Portugal (AdP), que gere grande parte destas infraestruturas no nosso país, coloca no seu site.

MEIO HÍDRICO

A maior parte da água captada pelo grupo AdP é proveniente de captações superficiais

No conjunto das empresas de abastecimento de água do grupo AdP estão em exploração 935 captações de água

Da água captada em infraestruturas do grupo AdP e que, após tratamento, é disponibilizada para consumo, cerca de 93% é reposta no meio hídrico. Antes, ela recebe tratamento adeuado nas ETAR (Estação de Tratamento de Águas Residuais), que garante a devolução em condições ambientalmente seguras

ETA

Existem 150 Estações de Tratamento de Água (ETA) no universo do grupo AdP

Em 2014, foram produzidos 573 milhões de m3 de água para consumo humano

Veja alguns exemplos de ETA em Portugal.

ETAR

Existem 953 Estações de Tratamento de Águas Residuais (ETAR) no universo do grupo AdP

Em 2014, foram tratadas 547 milhões de m3 de águas residuais

Em 2014, foram reutilizadas 6,3 milhões de m3 de águas residuais

Em 2014, foram cedidas ou vendidas 1,1 milhões de m3 de águas residuais

Em 2014 foram reutilizadas internamente 5,2 milhões de m3 de águas residuais

Veja alguns exemplos de ETAR em Portugal.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:55

RUÍDO DO TRÂNSITO URBANO PODE PROVOCAR PROBLEMAS DE COMPORTAMENTO NA INFÂNCIA

por Mäyjo, em 29.05.17

Tráfego de veículos durante o dia em grande cidade brasileira.

Um novo estudo dinamarquês relaciona a exposição ao ruído do trânsito urbano a problemas de comportamento na infância, especialmente a hiperactividade ou a falta de concentração.

 

Estudos anteriores haviam já relacionado os problemas da poluição sonora com problemas de saúde na idade adulta, nomeadamente alterações de humor e ansiedade. Este novo estudo, publicado na revista científica Environmental Health Perspectives, vem agora provar que o ruído do trânsito urbano também afecta as crianças, especialmente durante as etapas mais sensíveis do seu desenvolvimento.

Na nova investigação, os cientistas quiseram averiguar se a exposição ao ruído do trânsito urbano estava associado com problemas comportamentais em crianças com sete anos. Para tal contou-se com a participação de 46.940 crianças dinamarquesas com sete anos, tendo sido reunido todo o seu historial clínico desde o nascimento à idade em questão. As questões comportamentais foram depois avaliadas através da observação e de um questionário aos pais das crianças.

“Descobrimos que uma exposição média superior de 10 decibéis ao ruído do tráfego rodoviário desde o nascimento até aos sete anos está associada a uma probabilidade 7% maior de vir a desenvolver problemas comportamentais. Verificou-se ainda um aumento de 5% e 9% na probabilidade de desenvolver hiperactividade e falta de atenção, respectivamente, e um aumento de 5% dos comportamentos anormais e 6% nas relações com os outros”, explica Jordi Sunyer, investigador que participou no estudo, à agência SINC.

Foto:  Laeti Imagens / Creative Commons

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:22

PORTUGAL: ELÉTRICOS E HÍBRIDOS JÁ CORRESPONDEM A 1,9% DO PARQUE AUTOMÓVEL

por Mäyjo, em 10.03.17

Electric Car charging point

Com as vendas de carros a subir para valores que não se registavam desde 2010, o parque automóvel português, um dos mais velhos da Europa, vai rejuvenescer. Os híbridos e os eléctricos estão a ter cada vez mais procura.

 

Em 2014 Portugal era, de acordo com estatísticas recolhidas através das marcas e disponíveis para 18 países, o quarto país europeu com carros mais velhos em circulação. Segundo a ACAP – Associação Automóvel de Portugal, a antiguidade do parque automóvel voltou a subir em 2015, mas 2016 foi ano de viragem.

Só entre Janeiro e Outubro, de acordo com esta associação, foram vendidos 200 mil novos veículos ligeiros, um volume de vendas que não se verificava desde 2010. Esta inversão de tendência foi acompanhada com uma novidade: entre Janeiro e Setembro foram vendidos 3567 veículos verdes, o correspondente a 1,9% do mercado total, uma percentagem que nunca foi atingida antes.

Foto: via Creative Commons 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:37

ARTISTA TRANSFORMA LIXO DE RUA EM CASAS MÓVEIS PARA SEM ABRIGO

por Mäyjo, em 03.03.17

artista_1

Gregory Kloehn dedica grande parte do seu dia a remexer no lixo, como tantos outros fazem, infelizmente, todos os dias. Contudo, este este norte-americano não o faz por necessidade básica. Kloehn é artista e procura no lixo a matéria prima para construir casas móveis para os sem abrigo.

 

O artista selecciona os materiais recicláveis para as pequenas criações arquitectónicas, que custam menos de €73 (R$ 220) cada. Para tal, ele escolheu um ponto conhecido de despejo ilegal de resíduos sólidos, em Oakland, Califórnia, para trabalhar.

Depois de realizar a recolha, Kloehn projeta os abrigos com materiais disponíveis. Segundo o artista, cada estrutura é única, sendo os únicos pontos comuns o tamanho reduzido, as rodas – para que a casa possa ser empurrada com facilidade – e o telhado inclinado, para não acumular a água da chuva.

Como pode ver na nossa galeria, criatividade é o que não falta a Kloehn: desde paletes a tampas de máquinas de lavar e portas de frigoríficos, todos os materiais sem uso actual são boas matérias primas.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:13


Este blog disponibiliza informação com utilidade para quem se interessa por Geografia. Pode também ajudar alunos que por vezes andam por aí desesperados em vésperas de teste, e não só, sem saber o que fazer...

Mais sobre mim

foto do autor


Siga-nos no Facebook

Geografando no Facebook

Pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Junho 2019

D S T Q Q S S
1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
30

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Posts mais comentados



Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D